DIRETAS JÁ!

DIRETAS JÁ!

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

SOBRE O DESGOVERNO EM CERTA CIDADE.






Na semana passada eu tratei das transições de governo – que é quando se muda o chefe do poder executivo através de eleições. Eu falei que não estamos, ainda, acostumados a processar as transições de maneira calma, ordeira e, fundamentalmente, republicana. Eu disse que os processos de transição são dificultados por uma cultura política pouco republicana que faz com que partidos e atores políticos se apeguem às estruturas de poder, bem como não queiram deixar os cargos que ocupam.





Eu ainda disse que tem um tipo de gestor que aproveita a transição para encobrir atos (que a nova gestão pode descobrir e até divulgar) por ter se saído derrotado das urnas, seja porque não foi reeleito, seja porque o candidato que apoiou não logrou êxito. Os mais apegados ao cargo e movidos por sentimentos outros podem mesmo querer impedir que a transição aconteça. Mas, este não parece ser o caso em Campina Grande. Os fatos parecem demonstrar outra realidade não menos trágica.





Ao contrário de um apego desmedido ao poder e ao cargo executivo, o que vemos é o descaso para com a gestão da coisa pública. Passado o processo eleitoral o prefeito Veneziano Vital parece ter esquecido que seu mandato ainda não terminou. Os fatos que vemos na imprensa, e que verificamos nas ruas, parecem nos querer convencer que nosso prefeito e seu secretariado desconhecem que o prefeito eleito Romero Rodrigues só tomara posse às 17 horas do dia 01 de janeiro de 2013.





Sempre se poderá dizer que não é prudente o atual prefeito tomar decisões que possam impactar na gestão do futuro prefeito. Se dirá, também, que a transição já começou, pois Veneziano e Romero já nomearam os que vão compor a Comissão de Transição. Esta Comissão será formada por quatro pessoas nomeadas pelo atual prefeito e por mais três indicadas pelo próximo que, inclusive, solicitou que o Tribunal de Contas do Estado, o Ministério Público Estadual e a Câmara Municipal monitorem o processo de transição.




Mas, o que quero tratar não é da transição em si, mas do que tem acontecido que influencia não só a transição como a futura gestão municipal e, por que não dizer, a própria sociedade campinense.







A impressão que se tem é que as pessoas responsáveis pela atual administração não querem mais exercer suas funções por saberem que tem dia e hora marcados para deixarem seus cargos e que não serão aproveitadas na próxima gestão. Sabem que nada podem reivindicar do próximo prefeito já que a decisão das urnas foi que elas devem deixar os cargos que ocupam. Esses sentimentos parecem gerar um comportamento de descompromisso para com a gestão da coisa pública.





Aqueles que lutaram para continuar nos cargos que hoje ocupam e/ou para não perderem o status de poder que possuem parecem ter abandonado suas funções ao verem o resultado desfavorável vindo das urnas. Parece que decidiram deixar para que seus substitutos resolvam os problemas que se multiplicam pela cidade afora.





Andando, nos últimos quatro dias, por bairros e ruas de nossa cidade constatei que a coleta de lixo não está sendo feita. Vi, por exemplo, na principal rua do bairro de José Pinheiro, a Campos Sales, sacos de lixo amontoados pelas calçadas. Vi muito lixo, entulhos e detritos espalhados pelas ruas, calçadas e terrenos. Sábado, no final da tarde, a Praça da Bandeira, ponto mais do que central de Campina Grande, estava em “petição de miséria” com muito lixo e um mau cheiro terrível.





Pudera, os prestadores de Serviço da Limpeza Urbana estam com seus salários atrasados, inclusive fizeram, no final da semana passada, manifestações reivindicando o recebimento de seus vencimentos em atraso. Constatei a enorme quantidade de buracos, de todas as profundidades e diâmetros, que democraticamente se espalham pela cidade. Não importa onde você more ou em quem tenha votado, na sua rua provavelmente haverá um buraco para que você chame de seu.





O Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema, o SINTAB, fez graves denúncias. Napoleão Maracajá, seu presidente, além do vereador Tovar Correia, disseram que a prefeitura não tem honrado com seus compromissos financeiros. Eles afirmaram que a prefeitura deixou de repassar, em setembro e outubro, os valores necessários para que o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais, o IPSEM, pudesse pagar os vencimentos de aposentados e pensionistas da prefeitura.





Ainda não se esclareceu a denúncia de que a prefeitura não estaria repassando aos bancos os valores dos empréstimos feitos em consignação por funcionários públicos, que estariam com seus nomes negativados no Serviço de Proteção ao Crédito. Falta saber por que a Guarda Municipal ficou, literalmente, a pés. E porque, ainda segundo o SINTAB, apenas os servidores da educação estam com seus salários em dia. Deve-se mesmo saber por que dizem que a prefeitura não tem pagado a seus fornecedores.





Claro, espera-se que os devidos esclarecimentos sejam feitos a sociedade. Torço para que o que foi dito aqui não esteja acontecendo, do contrário à mera impressão de que Campina Grande está desgovernada, sem governo, passará a ser uma triste constatação.





GilBlog - Arquivo

ÚLTIMO ARTIGO PUBLICADO

ÚLTIMO ARTIGO PUBLICADO
Este foi um dos últimos artigos que publiquei: “SOMOS TODOS UM BANDO DE ARAMIS". Neste artigo analiso porque somos avessos à consolidação de nossa democracia. Discuto a contradição de praticarmos procedimentos democráticos enquanto cevamos um ancestral saudosismo de nosso passado ditatorial. Sugiro refletirmos sobre o paradoxo de parte da sociedade usar a liberdade de expressão para pedir um regime que pode acabar com ela. http://www.paraibaonline.com.br/colunista/santos/9920-somos-todos-um-bando-de-aramis---parte-i.html

OBRAS DE ARTE EM FORMA DE VINIL

OBRAS DE ARTE EM FORMA DE VINIL
Este é o primeiro disco do Pink Floyd. Já começou assim mesmo: psicodelizado, distorcido, viajadão, cheio de efeitos! É daqueles discos para ouvir vez por outra acompanhado de algo que te dê alguma distorção mental. Aliás, o Floyd começou muito bom, esteve uma época fantástico, e terminou bom! Neste disco temos Syd Barret com Roger Waters, Rick Wright e Nicky Mason, sem David Gilmour, ainda.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Seguidores

Google+ Followers