DIRETAS JÁ!

DIRETAS JÁ!

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

CÁSSIO E SEU CONFRONTO DIRETO.

Na entrevista que a Equipe de Jornalismo da Campina FM fez com o candidato ao governo do Estado da Paraíba Cássio Cunha Lima deu para perceber claramente que o senador aceita de bom grado a bipolarização da campanha eleitoral. Da primeira a última resposta, passando pelas considerações iniciais e finais, Cássio esteve sempre no confronto direto com o governador Ricardo Coutinho. A todo instante, ele criticava duramente a administração estadual. Assim como fez Ricardo Coutinho, em sua entrevista conosco, Cássio ignorou classicamente seus outros quatro adversários. O objetivo central de Cássio foi atacar seu principal adversário, assim como fez Ricardo. Nisto eles só se parecem.

Estranha essa estratégia do senador Cássio. Se é verdade que ele está tão a frente de Ricardo nas pesquisas, porque se incomodar tanto com um adversário que não parece incomodar? Ao que me parece, para Cássio, não basta ganhar a eleição. Além de ganhar, ele parece motivado a destruir Ricardo Coutinho do ponto de vista político-eleitoral. Em alguns momentos, Cássio pareceu motivado pela vingança, pois se referia ao seu adversário com uma ira quase incontrolável. Cássio começou a entrevista dizendo que é candidato “para fazer um governo novo, diferente, melhor, mais técnico, mais ousado”. Ele se disse mais maduro e preparado para fazer um governo que atenda a população nos serviços que ela mais precisa.

Essa declaração pareceu uma autocrítica sobre o período em que ele foi governador. O que podemos entender por “mais técnico e mais ousado”? Significa que, da outra vez, Cássio foi mais improvisador e mais tímido, mais reticente em tomar medidas? Dito isso, Cássio partiu para o confronto e foi logo afirmando que os serviços públicos pioraram muito, que existe um retrocesso na prática política do atual governo. Cássio acusou, sem meias palavras, Ricardo de perseguir e oprimir o servidor público. Ele disse, também, que o governo não dialoga com os setores produtivos do Estado da Paraíba, citando a indústria, o comércio e a agricultura. Cássio usou os 3 minutos de suas considerações iniciais para atacar seu adversário.

Interessa atentar para o fato de que o senador Cássio tenha preferido usar a maior parte do seu tempo, durante a entrevista, para atacar e criticar seu principal adversário, ao invés de usá-lo para falar das realizações do seu período administrativo. Claro, Cássio não se furtou a fazer as promessas que todos os outros candidatos fizeram e vão continuar fazendo. Ele disse que vai melhorar a educação, a saúde, que vai promover desenvolvimento e que vai diminuir os índices da violência no Estado. Cássio pareceu mais ponderado em relação às outras eleições que disputou. Não só ponderado, como até reticente em dar respostas. Vejam que ele se esquivou de comentar de que maneira a candidatura de Marina Silva influiria na candidatura de Aécio Neves.

Cássio pouco explorou o fato de ser do partido que é oposição ao governo federal. Quando perguntado sobre uma política de recursos hídricos ele ainda criticou o governo federal pela demora nas obras da transposição do Rio São Francisco e foi só. Quando o assunto foi à segurança pública, Cássio explorou a situação de insegurança em que vivemos, pondo toda a responsabilidade na conta do governo do Estado. O senador Cássio estava bem servido de dados por uma assessoria especializada no assunto. Um momento curioso da entrevista foi quando se perguntou ao ex-governador se ele é a favor que os ex-governadores recebam pensão. Cássio disse que na atual situação não há mais como se defender esse tipo de coisa.

Ele lembrou que quando assumiu o senado, encaminhou um pedido ao governo do Estado para que fosse suspenso o pagamento de sua pensão de ex-governador. Depois Cássio fez uma afirmação que deveria ser melhor explicada. Disse ele que: “... na sequência veio o meu divórcio e eu deixei com a minha ex-esposa, Silvia, essa pensão”. Eu não entendi, o senador pediu a suspensão do pagamento da pensão, mas sua ex-esposa é quem a recebe? Somos nós, os paraibanos, que pagamos a pensão da ex-esposa do ex-governador? Um momento, com certa tensão, foi quando perguntei ao senador se o funcionalismo público teria que voltar a fazer empréstimos, para receber seus vencimentos, caso ele fosse eleito? Eu me referia a um fato desse tipo que ocorreu no governo dele.


O senador disse que essa questão vem sendo trazida pelo governador Ricardo Coutinho. De forma irônica, Cássio disse: “aqui é engraçado, o discurso do governo repercute bem, as perguntas são muito bem pautadas por aquilo que o governador vem dizendo”. A pergunta irritou o senador, mas eu não fui pautado por ninguém do governo para fazê-la. Na verdade, eu mesmo me pautei para essa questão, pois fui um dos que teve que fazer o tal empréstimo para poder receber meus vencimentos. Cássio Cunha Lima reafirmou que a pergunta era feita pelo governo do Estado. E eu devo dizer que não, que a pergunta é tão somente uma curiosidade de todos os funcionários públicos do Estado da Paraíba. 

Nenhum comentário:

GilBlog - Arquivo

ÚLTIMO ARTIGO PUBLICADO

ÚLTIMO ARTIGO PUBLICADO
Este foi um dos últimos artigos que publiquei: “SOMOS TODOS UM BANDO DE ARAMIS". Neste artigo analiso porque somos avessos à consolidação de nossa democracia. Discuto a contradição de praticarmos procedimentos democráticos enquanto cevamos um ancestral saudosismo de nosso passado ditatorial. Sugiro refletirmos sobre o paradoxo de parte da sociedade usar a liberdade de expressão para pedir um regime que pode acabar com ela. http://www.paraibaonline.com.br/colunista/santos/9920-somos-todos-um-bando-de-aramis---parte-i.html

OBRAS DE ARTE EM FORMA DE VINIL

OBRAS DE ARTE EM FORMA DE VINIL
Este é o primeiro disco do Pink Floyd. Já começou assim mesmo: psicodelizado, distorcido, viajadão, cheio de efeitos! É daqueles discos para ouvir vez por outra acompanhado de algo que te dê alguma distorção mental. Aliás, o Floyd começou muito bom, esteve uma época fantástico, e terminou bom! Neste disco temos Syd Barret com Roger Waters, Rick Wright e Nicky Mason, sem David Gilmour, ainda.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Seguidores

Google+ Followers