terça-feira, 12 de agosto de 2014

POLÍTICOS, FORA!

D(41)
Ontem, alguns órgãos da imprensa paraibana publicaram uma história inusitada, não tanto pelo que ela apresenta, mas pelo fato ter acontecido num local inesperado e por ter sido provocada por este momento eleitoral que já vivemos a plenos pulmões. A história é simples, mas é carregada de simbolismos. Da forma como se deu, pode nos servir para algum tipo de reflexão. Às vezes, a simplicidade de um gesto pode influir bem mais do que a grandiosidade de um ato realizado por alguém que tenha poder. A história se deu no “Sítio Zé Velho”, no município de Queimadas, aqui, bem próximo de Campina Grande. O Agricultor Arnaldo Genuíno, de 62 anos, resolveu protestar cansado das promessas e das visitas dos políticos apenas nos períodos eleitorais.

Ele mandou pintar um faixa e a afixou num local visível, logo na entrada de sua casa, com os seguintes dizeres: “É PROIBIDO À ENTRADA DE POLÍTICO". Sim, assim mesmo, sem rodeios. “Seu” Arnaldo foi taxativo, direto ao ponto. Ele bem que poderia ter colocado um aviso pedindo, delicadamente ou não, aos políticos que não adentrassem, em sua propriedade, para lhe fazer promessas e lhe pedir o voto. Um simples cartaz poderia resolver tudo. “Seu” Arnaldo poderia informar, a cada um dos políticos, que não mais aceitaria que eles viessem lhe tomar o tempo com promessas, sorrisos e os tapinhas às costas de sempre que tanto irritam os que sabem que isso quer dizer absolutamente nada.

Mas, “Seu Arnaldo” não quer apenas manter os políticos longe de sua casa. O que ele quer, na verdade, é protestar. A grande faixa que ele expôs é para ser bem vista por todos aqueles que venham a passar por ali. Ao afirmar que os políticos estam proibidos de entrar em sua casa, “Seu Arnaldo” está desabafando sua revolta, sua exaustão para com esse estado de coisas. Foi a sua filha quem bem explicou qual foi a intensão por trás desse gesto em sua essência político. Poliana de Moura afirmou que a “faixa serve de protesto contra a classe política”. Ela, e seu pai, acreditam que este é um protesto que poderá servir de lição para os políticos, pelo menos nessa época de eleição.

Eu não sei se servirá de lição, pois, em geral, os políticos não dão o devido valor aos avisos e às lições que a sociedade lhe transmite vez por outra. Se fosse assim, muita coisa teria mudado após as manifestações de junho e julho do ano passado. É bom não esquecer que o gigante até acordou de seu profundo sono, mas, aos poucos, foi novamente submergindo e terminou voltando a dormir nos braços esplêndidos de sua acomodação. Que lição à elite política brasileira tirou daquelas manifestações? Mas, Poliana e seu pai Arnaldo, não parecem querer despertar o gigante. Eles têm um objetivo pontual. Poliana afirma que, na época das chuvas, o local onde eles moram vira um grande mar de lama por onde até os animais tem dificuldades em transitar.

Poliana diz que prefeitos prometerem várias vezes fazer o calçamento das vias enlameadas. Prometeram, ainda, a construção de uma passagem molhada na via. Entrou eleição, saiu eleição, e os políticos sempre prometendo acabar com a lama. “Seu Arnaldo” cansou das promessas. Ele até aceitava aturar os políticos lhe dando tapinhas às costas, pois sempre alimentou a esperança de que um dia alguém cumpriria a promessa.  Mas, “Seu Arnaldo” teve, então, um choque de realidade. Ele resolveu deixar bem claro que não mais aceitará promessas e que, por isso mesmo, não mais receberá a visita de políticos. Mas, não pensem que “Seu Arnaldo” é um realista incorrigível como eu. Por favor, não o chamem de pessimista.

“Seu Arnaldo” é um otimista de quatro costados, pois acredita que esse protesto servirá de lição para os políticos.  Inclusive, ele afirmou que, ao verem a faixa, os políticos vão ter vergonha e assim vão terminar fazendo algo pela comunidade onde ele mora. “Seu Arnaldo”, eu não quero ser portador da má notícia, mas devo lhe dizer para nunca se iludir. Se tem uma coisa que político, que só sabe prometer, jamais terá é vergonha. De uma coisa pode ter certeza, essa faixa vai sim afugentar muitos desses políticos. O fato é que este é um exemplo simbólico de porque confiamos tão pouco nos políticos. “Seu Arnaldo” representa um enorme contingente de brasileiros que não possuem motivo algum para gostar de política e para acreditar nos políticos.

“Seu Arnaldo” passou muito tempo esperando que o Estado cumprisse sua função precípua de proporcionar bem estar ao cidadão. Para ele, bem estar é não ter lama à porta de sua casa. Simples assim. Para “Seu Arnaldo” não dá para consagrar legitimidade a um sistema político que não serve para retirar a lama que fica em torno de sua casa. O que ele quer é uma coisa que virou moda nos discursos e nas promessas. “Seu Arnaldo” quer mobilidade urbana. Com sua faixa mal criada, “Seu Arnaldo” expôs a fragilidade desse sistema político-partidário-eleitoral. Ao expulsar os políticos de sua casa, em plena eleição, ele quis mostrar que nosso sistema representativo está falido e que está na hora de limpar toda a lama que está em nossa volta.

Você tem algo a dizer sobre essa COLUNA ou quer sugerir uma pauta? gilbergues@gmail.com

AQUI É O POLITICANDO, COM GILBERGUES SANTOS, PARA A CAMPINA FM.

Nenhum comentário:

GilBlog - Arquivo

MUSEU DE GRANDES NOVIDADES

MUSEU DE GRANDES NOVIDADES
Este é o "museu de grandes novidades" do qual nos falava Cazuza. Ante-sala do gabinete do Reitor da Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande.

Siga-me por Email

Total de visualizações de página

Seguidores

Google+ Followers

Marcadores