segunda-feira, 1 de outubro de 2012

VOCÊ JÁ EM QUEM VAI VOTAR?






Domingo, meio da tarde, eu tentava me concentrar para escrever esta e outras colunas. Mas, estava difícil com carreatas passando em frente ao edifício onde moro. Muito barulho, fogos de artifício, musica da pior qualidade, era a festa da democracia. Chegará o dia em que candidatos que fizerem carreatas serão duramente punidos com uma fabulosa perda de votos. Mas, o POLITICANDO de hoje não é sobre isso. Estou apenas, mais uma vez, desabafando na esperança que um dia se faça algo a esse respeito.




Na verdade, quero falar dessa última semana de campanha e o que espero que os candidatos venham nela fazer. Seis dias nos separam da ida às urnas. O que os candidatos a prefeito de Campina Grande devem fazer até lá? Todos ainda vão aparecer no guia eleitoral. Todos ainda vão às ruas. Todos vão se esforçar ao máximo para que nesta última semana possam conquistar mais e mais corações e mentes, principalmente dos eleitores indecisos.




Temos muito que decidir nesta eleição. Salvo alguma surpresa, teremos o 2º turno. Mas, é bom não esquecer que existe, de acordo com a pesquisa CAMPINA FM/GRUPO 6SIGMA, um manancial de votos a se conquistar. Os indecisos (estou incluindo os que não informaram em quem votarão) são 11.6%. Se todos votarem num dos três candidatos que ocupam os três primeiros lugares na pesquisa CAMPINA FM/GRUPO 6SIGMA teremos uma reviravolta daquelas.




Romero tem 37.1%. Com estes 11.6% vai a 48.7% e ganha a eleição no 1º turno. Tatiana tem 23.3%. Se todos os indecisos nela votarem chega a 34.9% e vai para o 2º turno numa situação confortável. Mas, se todos os indecisos resolverem votar em Daniella (que tem 16.3%) ela chega a 27.9%, toma o 2º lugar de Tatiana e vai para o 2º turno com Romero.  Esses três cenários são impossíveis? Não, claro que não.




Como eu já disse, em uma semana tudo pode acontecer, até um terremoto de magnitude 7 na Escala Richter. Em Condições Normais de Temperatura e Pressão vamos para o 2º turno com Romero e Tatiana. Mas, enfim, o jogo só acaba quando termina.




Amanhã teremos o último debate dessa eleição aqui mesmo na CAMPINA FM. Os sete candidatos terão uma última e valiosa oportunidade de apresentarem suas propostas e convencerem os indecisos. Aliás, o fato do último debate acontecer aqui nos estúdios da CAMPINA FM não deixa de ser uma forma de reconhecer o eficiente trabalho de cobertura, das eleições 2012, feito pela equipe de jornalismo dessa emissora de rádio.



Mas o que cada candidato precisa fazer (ou dizer) para convencer cada eleitor que se sente no sagrado direito de permanecer indeciso? Primeiro, é preciso entender que, em geral, o indeciso não é o eleitor que não sabe em quem votar. O indeciso é o eleitor que pondera mais. Que observa atentamente os candidatos para só então tomar uma decisão. Todo eleitor deve ser respeitado, claro, mas o indeciso é um tipo de eleitor que deve ser tratado com máximo cuidado, carinho e atenção.








Os candidatos devem saber que é na semana que antecede a eleição que o indeciso forma sua opinião. Um bom ou mau desempenho no debate de amanhã atrai ou espanta um indeciso. Portanto, candidatos, tratem o debate com o respeito que ele merece ter.




Digamos que eu estivesse indeciso? Digamos que estivesse esperando o último debate da eleição para me decidir? O que eu esperaria dos candidatos? O que eu gostaria de ouvir deles? Em primeiro lugar gostaria que, finalmente, eles dissessem de onde virão os recursos para financiaram às propostas (algumas mirabolantes) que eles fizeram durante toda a campanha eleitoral.




Gostaria, também, que cada um deles não se perdesse no labirinto das generalidades do tipo “minha prioridade é a educação e a saúde”. Gostaria que eles fizessem propostas pontuais, reais, baseadas em estudos técnicos, não em sonhos e alucinações.




E eu ia querer que eles aproveitassem o debate para se diferenciarem uns dos outros. Gostaria que fossem para o embate de ideias e palavras, sem baixarias, claro. Se a eleição é um jogo, não me parece que se possa ganha-lo sem que se vá para o enfrentamento.




Não me parece que indecisos gostem de candidatos frágeis, passivos, lenientes, ou seja, que tentam aliviar a dureza do jogo. Não me parece que o eleitor indeciso possa vir a votar em um candidato que não tenha como prioridade ganhar a eleição.




Indecisos não gostam de candidato sem identidade própria, que não tenha até agora conseguido demonstrar a que veio. Não me parece que um indeciso escolha votar num candidato que não saber para onde ir.




Se eu estivesse sem saber que caminho tomar, não seguiria alguém que estivesse mais perdido do que eu. Seguiria aquele que me convencesse, ou pelo menos tentasse, que o melhor caminho a seguir seria aquele por onde ele mesmo estava indo.





GilBlog - Arquivo

ÚLTIMO ARTIGO PUBLICADO

ÚLTIMO ARTIGO PUBLICADO
Este foi um dos últimos artigos que publiquei: “SOMOS TODOS UM BANDO DE ARAMIS". Neste artigo analiso porque somos avessos à consolidação de nossa democracia. Discuto a contradição de praticarmos procedimentos democráticos enquanto cevamos um ancestral saudosismo de nosso passado ditatorial. Sugiro refletirmos sobre o paradoxo de parte da sociedade usar a liberdade de expressão para pedir um regime que pode acabar com ela. http://www.paraibaonline.com.br/colunista/santos/9920-somos-todos-um-bando-de-aramis---parte-i.html

Postagens populares