sexta-feira, 18 de maio de 2012

TERMINOU A ELEIÇÃO DA UEPB. E AGORA, GOVERNADOR?


Terminou na madrugada de ontem a consulta prévia para escolha do novo reitor da UEPB. A chapa cinco, do Profº Rangel Jr., venceu com 4.061 votos. Vitória inconteste se considerarmos que a chapa dois, do Profº Andrade, obteve 1.865 votos. Rangel Jr. abriu uma frente de mais de dois mil votos sobre o segundo colocado. Havia alguma certeza quanto a essa vitória. Bastava ver o comportamento da comunidade acadêmica nas redes sociais. Os apoios à chapa cinco eram claríssimos.





Também não surpreendeu a votação de três chapas derrotadas. Cada uma, com suas especificidades, teve a votação que podia ou devia ter. A chapa três, da Profª Eliana Maia, teve 1.477 votos. Ela teve o mérito de apontar algumas questões para serem repensadas na UEPB. Uma consequente proposta da consulta partiu dela. Foi a da convocação de uma Estatuinte que possa dotar a UEPB de um estatuto adequado a realidade que vivemos. Com a autonomia, precisamos de novas regras. Nosso ordenamento pouco responde as atuais demandas.





Já a chapa quatro, do Profº Agassiz, obteve 898 votos. E a chapa um, da Profª Mônica, obteve 698. Isso pode ser bom ou ruim, depende do referencial que se tome. Se olharmos pela pouca, ou nenhuma, inserção política que eles têm na UEPB, podemos afirmar que não deixa de ser uma boa votação. Ou seja, eles estam no lucro! Por outra lado, é de se perguntar como é possível reivindicar o poder sem ter os necessários recursos políticos para isso.





A surpresa ficou por conta da votação da chapa dois, do Profº Andrade. Pelo marketing agressivo, com material de campanha em quantidade e qualidade gráfica, e pelos anos de inserção política que o Profº Andrade tem na UEPB, com sua atuação sindical, era mesmo de se esperar que ele tivesse uma robusta votação. Ao que tudo indica a comunidade acadêmica da UEPB rejeitou o modelo de alinhamento ao governo proposto pelo Profº Andrade.




Se atribuirmos um caráter plebiscitário a consulta, poderemos inferir que quem votou na chapa cinco, do Profº Rangel Jr., aprova a gestão da reitora Marlene Alves. Podemos genericamente, então, considerar que os que votaram nas outras quatro chapas estavam de alguma forma questionando a gestão atual? Falando em números, isso não é de todo errado na medida em que as quatro chapas derrotadas somaram 4.938 votos, contra os 4.061 do Profº Rangel Jr. Claro, vamos colocar aqui as insatisfações e contestações de toda sorte, próprias de um processo como este.




Estes quase 900 votos que o Profº Rangel Jr. teve de vantagem para as outras quatro chapas lhe dão legitimidade para enfrentar o processo seguinte. É que o resultado da consulta será levado aos órgãos colegiados da UEPB, onde será formulada a lista tríplice com os nomes dos três primeiros colocados. Esta lista será levada ao governador Ricardo Coutinho que escolherá um dos três e o nomeará reitor da UEPB. Muito já se falou sobre isso, inclusive.




Espera-se que o governador mantenha o espirito democrático e nomeie o Profº Rangel Jr. reitor, independente de outras questões questão. E, claro, espera-se que o Profº Andrade e todos os outros professores que concorreram, honrem o compromisso assumido perante a comunidade acadêmica e não aceitem um resultado diferente daquele que saiu das urnas.

GilBlog - Arquivo

ÚLTIMO ARTIGO PUBLICADO

ÚLTIMO ARTIGO PUBLICADO
Este foi um dos últimos artigos que publiquei: “SOMOS TODOS UM BANDO DE ARAMIS". Neste artigo analiso porque somos avessos à consolidação de nossa democracia. Discuto a contradição de praticarmos procedimentos democráticos enquanto cevamos um ancestral saudosismo de nosso passado ditatorial. Sugiro refletirmos sobre o paradoxo de parte da sociedade usar a liberdade de expressão para pedir um regime que pode acabar com ela. http://www.paraibaonline.com.br/colunista/santos/9920-somos-todos-um-bando-de-aramis---parte-i.html

Postagens populares